Prevenção de Acidentes | Inmetra Facilities

Quanto custa um acidente de trabalho?


As Organizações de todo o mundo medem seus impactos, ganhos e perdas, avaliam o contexto global, focam na produtividade como sobrevivência, mas o fator humano, como é visto no contexto?


A tecnologia cada vez mais presente, e a modernidade é inevitável nas empresas. A qualidade sem dúvida representa hoje a principal arma na venda da matéria-prima ou produto final de uma determinada atividade empresarial.
Entretanto, os acidentes do trabalho interferem drasticamente no andamento normal da produção. Os problemas econômicos derivados do acidente de trabalho atingem a todos, diretamente aos acidentados, sociedade, País e também, a empresa onde estiver, e a todas as empresas por reflexos dessa estatítica assombrosa.
Desta forma o acidente do trabalho representa um custo social e privado considerável. As empresas são as mais fortemente afetadas pelas conseqüências anti-econômicas dos acidentes de trabalho, apesar de nem sempre perceberem essa realidade.
Podemos dizer mesmo que, via de regra, as empresas desconheçam seus prejuízos em razão dos acidentes, e às vezes seus próprios responsáveis nem imaginam em quanto os acidentes oneram os custos dos seus trabalhos ou produtos.

No Brasil, uma parcela do custo é de responsabilidade da Previdência Social ( INSS ), pois as empresas por imposição legal são obrigadas a manter seus empregados segurados contra acidentes do trabalho, vinculados ao regime previdenciário/trabalhista, quando ainda não contiver em Convenção Coletiva o seguro de vida privado como cláusula imposta a determinada categoria de trabalho.

Tal parcela que nos referímos, constitui o que se denomina-se CUSTO DIRETO, ou mais apropriado termo - Custo Segurado dos acidentes!
Contudo há, porém uma outra parcela, não obstante e raramente e maior que a anterior, que é de responsabilidade exclusiva do empregador, chamada CUSTO INDIRETO ou custo não Segurado do acidente.

EXEMPLOS DE CUSTO SEGURADO:


• Despesas médicas, hospitalares e farmacêuticas necessárias na recuperação do acidentado.
• Pagamento de diárias e indenizações.
• Transporte do Acidentado.

EXEMPLOS DE CUSTO NÃO SEGURADO:


• Despesas com material nos reparos dos danos.
• Despesas com mão-de-obra na manutenção corretiva do equipamento acidentado.
• Prejuízos pelas horas improdutivas em decorrência do acidente (LUCRO CESSANTE).
• Transtornos quanto a legislação trabalhista, com possível fiscalização e multas decorrentes da infortunística.
• Despesas com processos trabalhistas, agora pelo dano sofrido, dano moral que a vítima há de peticionar, sequelas e outros, pois nem sempre o seguro está efetivamente nas empresas.
As empresas brasileiras (urbanas e rurais) se transformam em fábricas de acidentes, uma guerra invisível que resulta em um prejuízo desastroso para a sociedade. A cada ano, cerca de 750 mil trabalhadores São vítimas de acidentes de trabalho, e o interessante é ao meu modo de ver, que esse número não oscila de forma drástica, nem para cima e nem para baixo, parece ser mesmo o destino de uma determinada população, afinal os acidentes não avisam quando vão acontecer, mas podem ser evitados com uma maior consciência por parte de todos, sociedade, patrões e principalmente empregados.

Deste total, mais de 5 mil morrem e 20 mil ficam mutilados, sem condições de volta à atividade profissional em face suas sequelas permanentes.

Nessa guerra diária aproximadamente 400 mil ficam afastados ao trabalho por pelos menos 15 dias, em função de algum tipo de acidente, e outros 280 mil são obrigados a ficarem fora de ação por um período que pode variar de 15 dias `a meses e, outros por anos.

Além do trauma humano sofrido pelo acidentado e por reflexo também atingindo seus familiares com essa agora realidade, este exército de acidentados custa ao país mais de 6 bilhões de DÓLARES por ano, segundo cálculos do Ministério do Trabalho.

Muitas empresas brasileiras, no entanto, estão longe de perceber o prejuízo que sofrem em função de não darem condições de trabalho a seus funcionários. O custo indireto de cada trabalhador acidentado representa quatro vezes maior que o custo direto do acidente.

Ou seja, além dos gastos com seguro, tratamentos médicos, e afastamento do trabalhador, existe uma perda ainda maior, já referendadas nos exemplos mencionados.

"Sob o aspecto humano, concluímos que a sociedade, os trabalhadores, suas famílias precisam cada vez mais de atenção sobre tudo que comentamos, porquê é assegurado a eles o direito de viver, trabalhar e prosperar."

Gestão SST?

PREVENÇÃO DE ACIDENTES DO TRABALHO

A INMETRA oferece a assessoria e consultoria, organiza a documentação legal, realiza treinamentos de conscientização da importância em usar os EPIS.



Através da gestão SST permanente, se traduz em oferecer qualidade de vida e bem estar aos trabalhadores, com os investimentos que as empresas precisam fazer de forma compulsória, e mais do que isso, esses recursos de investimento devem ser levados a sério por seus dirigentes, de tal modo não fiquem seus programas de sáude e segurança do trabalho e respectivos certificados apenas arquivados, fazendo um planejamento para as adequações necessárias em seus equipamentos e mobiliários, adequando seus layouts, métodos de trabalho e produtividade.

Saiba mais

O que é saúde no trabalho?

Mas afinal de contas, porquê ainda a sociedade vê o exame do trabalho como um simples exame? O desconhecimento técnico e mais profundo da ciência que estamos tratando, que é a capacitação que um médico adquire, àqueles que duvidam de sua seriedade, basta abrir 1 página de um livro de medicina para logo verificar estar completamente ignorante em afirmar que o exame médico do trabalho é um exame simples.



Ele pode ser em sua maioria, mas quando ocorrer o resultado diferente de normal, ele médico sabe o quê fazer, ao menos podemos afirmar seja dessa forma por toda a classe médica, este é um comentário de que é muito fácil desprezar o conhecimento alheio, enquanto não acometido de uma determinada doença.
E como a maioria tem a saúde, e vez e outra estará sem essa saúde, e passamos na vida em tese com mais dias com saúde do que zumbis por toda a eternidade, logo pode se concluir que a medicina do trabalho tem uma valoração pela sociedade somente quando lhe convém.

Saiba mais

PLATAFORMA SST
100% Online

Com os controles através de plataforma online cada vez mais são disseminados os conhecimentos das equipes de SESMT - Serviços Especializados em Segurança e Medicina do Trabalho, e dessa maneira temos obtidos excelentes resultados em empresas que depositam seus créditos e investem consideravelmente em prevenção de doenças e acidentes do trabalho. Se comparado o custo de vale alimentação que hoje variam entre R$ 8 à 22 reais, conforme o segmento, logo verificará que o custo entre saúde e segurança do trabalho é inferior a exatamente 1 real / dia. Pode fazer a conta, e se estiver muito longe desse valor é porquê não está sendo feito tecnicamente o que a legislação obriga através das NRs - Normas Regulamentadoras vigentes.



Saiba mais