EPIS NR6 - Inmetra

> Recursos SST | Praticidade ao RH | Soluções SST agregam valor a empresa.

.VOCÊ ESCOLHEU TREINAMENTOS SST

. TREINAMENTOS OBRIGATÓRIO EM SST | by Inmetra®

> Os treinamentos realizados pela INMETRA® obrigatórios previstos na legislação são os seguintes, vejam:
- Treinamento de Cipa Nr5 item 5.32.2 - Treinamento de Epis Nr6 - Treinamento de Primeiros Socorros item 7.5.1 da NR7 - Treinamento em serviços de Eletricidade NR10 e de serviços de Potência - SEP - Treinamento de Condução Segura com Empilhadeiras - Treinamentos de Operadores de Caldeiras Nr13 - Treinamento Admissional e Periódico da Construção Civil Nr18 - Treinamento de Brigadistas de Incêndios Nr23 - Treinamento de Call-Centers e Check-outs Nr17 - Treinamento de Espaços Confinados Nr33 - Treinamento de Trabalhos em Altura Nr35
Fale com nossos consultores para obter informações de cursos e palestras em nosso auditório em Santo Amaro, com treinamento prático no local.

A importância do Uso de Epis na Empresa | Treinamentos

Os EPIs Equipamentos de Proteção Individual previsto na NR6 são essenciais para a proteção a integridade física e saúde de trabalhadores nos ambientes de trabalho em diversos segmentos do comércio, indústrias, construção civil e demais segmentos.

Os gestores, empregadores e profissionais de segurança do trabalho tem responsabilidades e necessitam implementar o uso no cotidiano da empresa/organização.

Basicamente, podemos conceituá-los como equipamentos que garantem uma maior segurança com a finalidade de evitar acidentes que possam comprometer a integridade física de colaboradores, evitando transtornos e prejuízos para as empresas no ponto de vista indenizatório e do próprio negócio, afinal na ausência de um colaborador outro terá que substituí-lo nas tarefas, e nem sempre há tempo hábil para tudo isso acontecer x produtividade da empresa.

Neste artigo, compreenda a importância dos EPIs e aproveite para tirar dúvidas sobre o assunto.

Minimização de ameaças ou riscos

Muitas atividades envolvem eventuais riscos no dia a dia que podem comprometer a integridade física dos colaboradores como já sabemos. Isso vale tanto para funções que oferecem risco de evento morte (sendo, nesse caso, recomendado EPIS específicos quais protejam os colaboradores de lesões que levem a quadros graves, por exemplo quanto para as atribuições que podem causar danos severos e até invalidez, mesmo que não aparentes de imediato.

Quanto a esse segundo caso, também como exemplo, vale citar o uso de protetores auriculares, que é muito comum. Por meio deles, evita-se que o excesso de ruídos possa causar perdas auditivas significativas que configurem, futuramente, até mesmo, quadros de surdez. Assim, podemos afirmar que os EPIs auxiliam na proteção da qualidade de vida dos funcionários e respaldam empresas de indenizações futuras, quai surgem durante o vínculo empregatício e até mesmo muito comum no desligamento do trabalhador. Isso é essencial, pois é responsabilidade das empresas a manutenção da saúde e da integridade do seu quadro de pessoal no exercício das funções previto na CLT e Normas Regulamentadoras denominadas NRs.

Dessa forma, em caso de acidentes — ainda que ocorram —, os profissionais estarão devidamente protegidos, evitando danos graves, lesões e riscos de morte. Os colaboradores, assim, atuarão com maior segurança e a empresa evitará danos à sua imagem e processos trabalhistas. Logo, o uso de EPIs auxilia diretamente nas medidas de controle de perigo, sendo essencial para mitigar o número de acidentes internamente e, efetivamente, proteger os colaboradores no cotidiano.

Diminuição de contágio em casos pandêmicos

Os EPIs também vêm cumprindo um papel fundamental para a proteção dos colaboradores no atual contexto da pandemia de Covid-19. Considerando o cenário, a empresa fornece para os seus profissionais determinados itens, como:

Desse modo, torna-se possível minimizar danos e problemas que possam comprometer a saúde e expor um profissional e os demais colegas a riscos. Por isso, é imprescindível considerar a importância dos EPIs nesse processo.

Redução de processos trabalhistas

Diante de acidentes de trabalho em caso real requer seja feito a investigação de acidente pela Cipa onde houver, e registrar o relatório em ata extraordinária, relatando se tratar de ato inseguro e ou condição insegura, assim como verificar o uso dos EPIS e relação direta e indireta com as lesões da vítima, seja um colaborador ou uma pessoa terceira no ambiente da empresa.

Se determinada empresa não oferece os equipamentos necessários para evitar danos à saúde durante a execução das atividades, com a qualidade demandada para esse fim pode gerar a infortunística. Naturalmente, frente a essas situações, o colaborador afetado pode interpor ações trabalhistas.

Por exemplo, se um funcionário vai realizar um trabalho em altura e não recebe os itens necessários para tanto, ele pode vir a sofrer uma queda e ter lesões que podem causar uma série de problemas. Se não houve a disponibilização do EPI necessário por parte da companhia, o acidente e as demais consequências são de responsabilidade do empregador, que não entregou a proteção necessária.

Aumento da produtividade e eleva a auto-estima dos colaboradores

Você conseguiria imaginar trabalhar quando está estressado ou com medo? Pois saiba que o mesmo vale para os seus colaboradores. Eles não conseguirão entregar a mesma produtividade se sentirem que estão em risco durante o desempenho das suas atribuições, e naturalmente afetará o fluxo da produtividade na empresa, podendo acarretar um efeito cascata, pois outros podem se sentirem da mesma forma pelo simples fato do compartilhamento entre eles acerca de uma ameaça, ou fato que por ventura tenha ocorrido.

Por exemplo, um profissional que esteja trabalhando em uma obra, sem um capacete adequado, executará as suas atividades sempre atento ao potencial risco de um objeto cair e atingi-lo, causando lesões. Com isso, ele terá a sua atenção mais voltada às circunstâncias externas e não às suas atividades diretas, o que reduz a sua capacidade de trabalho. Ao mesmo tempo, se esse trabalhador não está alerta quanto ao que deve fazer, os riscos de haver erros são enormes estatisticamente levantado por uma organização.

Assim, ao oferecer conforto e segurança para o quadro de pessoal, os seus colaboradores conseguem atuar de forma consciente naturalmente, proporcionando benefícios para eles e para a empresa. Isso inclui até mesmo a melhora do clima organizacional no dia a dia, refletindo sempre na qualidade e produtividade da empresa.

Cumprimento das Normas Reguladoras

Além de tudo que citamos acima, é preciso pensar no cumprimento das exigências legais, já que há normas a serem seguidas para esse fim. No Brasil, isso é norteado pela NR 6, como mencionado na introdução. Lembre-se de que, conforme as disposições dessa NR, as empresas são obrigadas a fornecer para os funcionários os devidos Equipamentos de Proteção Individual, garantindo um perfeito funcionamento e um adequado estado de conservação, de modo que estejam em conformidade com o grau de risco ao qual o colaborador está submetido.

Outro ponto importante é que se torna necessário promover treinamentos focados no melhor uso dos EPIs, garantindo que os profissionais os utilizarão de forma apropriada no dia a dia. Quer ver uma situação que demonstra como isso é importante? Imagine um trabalhador que esteja utilizando o protetor auricular na sua rotina de trabalho de modo inadequado. Nesse cenário, os riscos de haver problemas auditivos acumulados ao longo do tempo e de gerar perdas auditivas consideráveis são aumentados.

Por essa razão, é fundamental optar por EPIs que tenham o Certificado de Aprovação (CA), que demonstra a aprovação do item nos testes rigorosos de qualidade, comprovando a sua capacidade de proteger os funcionários. Ademais, é importante lembrar que, segundo as normas vigentes, no que diz respeito à Hierarquia de Controle de Riscos, o uso de EPIs é a última medida a ser tomada. Isso porque, antes do seu emprego, outras ações de eliminação e de redução de riscos devem ser executadas. Ou seja, eles representam uma forma de minimizar danos quando as demais práticas foram insuficientes.

Como visto, saber a importância dos EPIs é fundamental para minimizar riscos e danos que possam ser causados tanto para cada colaborador quanto para a empresa como um todo. Além disso, lembre-se de que é de responsabilidade do negócio a garantia da integridade física dos trabalhadores durante as suas atividades.

Agora, a questão é: você sabia que os EPIs precisam estar inclusos também em programas de segurança do trabalho? Isso minimiza os efeitos desastrosos de possíveis acidentes. Por isso, confira o nosso artigo sobre o tema e veja como utilizá-los para engajar os colaboradores.

Seja um cliente preferencial e junte-se ao Grupo.meo | by Inmetra®